Penso, logo isso não serve de muita coisa...

Vivemos em um mundo onde somos bombardeados com diversas opiniões diariamente. Ter opinião própria é cada vez mais difícil. O texto a seguir fala sobre Fulano, mas poderia ser sobre mim ou você.
Confiram:

Fulano acordou animado naquele dia, afinal ele amava as quintas-feiras. Era quando novos filmes  estreavam nos cinemas. E ele também amava cinema. Abriu seu site favorito e procurou uma crítica para ler.

"Esse filme X parece legal, fiquei com vontade de assistir. Vamos ver o que o pessoal tá achando", pensou ele. "Nota 6? Sério? Mas esse cara pensa igual a mim muitas vezes". A vontade de assistir o filme não diminuiu, mas balançou. Foi conferir os comentários, afinal o voz do povo sempre tem razão. Piorou, críticas ainda mais negativas. O que fazer?

Foi pra faculdade pensando no filme X. Resolveu ouvir música para se distrair. Esqueceu o fone em casa, maldita memória. O jeito era ouvir a rádio tocando no ônibus. De repente, um áudio do filme X é divulgado, fazendo uma bela propaganda. Fulano voltou a ficar indeciso. Passou por um outdoor. Lá, bem grande para todo mundo ver, mais uma propaganda do bendito filme X. Pensou um pouco mais e decidiu que iria assistir após a aula. Mal sabia Fulano que nem tudo ocorre como planejado.

Encontrou os amigos numa roda de conversa. Nem preciso dizer sobre o que estavam falando. "Esse filme é uma merda", disse um deles. "Mais uma adaptação de livro. Onde está a criatividade?" bradou outro. Fulano, tal qual uma esponja, absorvia tudo aquilo. E os pensamentos já não faziam mais tanto sentido.

"Mas o livro é excelente, o filme também pode ser" disse a garota do grupo. Fulano se encheu de esperança. Finalmente alguém conhecia mais do filme X. Era do que ele precisava. Lembrou que estava decidido à assistir o dito cujo. E assim ficou durante todo o dia. Pegou o ônibus. Viajem longa para pensar em desistir ou não. Procurou os fones na bolsa, maldita memória.


O rádio estava desligado. Mas as pessoas falavam e muito. A maioria sobre o filme X. Quando ia descer em frente ao shopping, Fulano ouviu a sentença de morte de seu pensamento. "Ingresso tá muito caro. Se o filme for ruim é dinheiro jogado fora". Seu lado mão de vaca pesou e ele sentou na cadeira de novo. O jeito era ir pra casa.

Chegou em casa e ligou o computador. Foi no seu site favorito mais uma vez, queria saber se os comentários haviam melhorado. Ledo engano. Naquele momento ele já tinha um opinião formada, por outros. Pensou um pouco. Pareceu muito tempo em sua cabeça. E começou a digitar: "Filme ruim, nem vou perder meu tempo assistindo". Colocou os braços sobre a cabeça e sorriu. Tinha deixado sua marca naquele dia. O último a falar mal do filme. Hora de ir dormir.

Pobre Fulano, achou que tinha se passado por legal. Mal sabia ele que naquele momento, o pobre Cicrano acabava de entrar no site. Buscando uma última opinião, um último comentário para formular seu pensamento...
Compartilhar no Google Plus

About Charles Luis Castro

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário